Quem sou eu

Minha foto
Agrônomo, com interesses em música e política

sexta-feira, 5 de junho de 2020

Foi. "Fui!"

Faço parte de uma organização, por onde pessoas muito interessantes já passaram por lá, ié trabalharam lá.

Uma delas trabalhava com as palavras, isto é, traduzia para o papel aquilo que apurava, via, avaliava e escrevia.

Nos idos das manifestações de 2013, ela afoita, saia em busca do sonho. Um novo mundo possível.

Eu, quase idoso na forma da lei, dizia: cuidado isso é coisa da direita. Nunca vi uma manifestação onde não se pudesse carregar a sua bandeira.
Mandaram o fulano e o sicrano, enfiar as bandeiras dos partidos no ...

Como toda jovem, cadê de escutar o idoso.

Dizia, Marcus eu vou pra manifestação. E eu, ok.

Eu, ainda tentava persuardi-la. Menina tu és alérgica pra caralho, essas bombas de gás lacrimogêneo podem te lascar.

Tudo em vão. Ia, foi e balançou e defendeu suas bandeiras.

De lá pra cá q história conta.

Golpe.

Prisão do Lula.

Eleição do indigitado.

Mas hoje, encontrei minha amiga, minha menina, minha "filha" feliz, neste espaço virtual.

Beijos.
Marcus Vinicius Oliveira

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

É SÓ ISSO MESMO !



 VATICANO - 13/02/2020









HOMENAGEM DO BLOCO CONCENTRA MAS NÃO SAI - MARCELLO SANTOS

Por Américo Sousa, pelo bloco Concentra Mas não Sai



"No ano em que completa 18 anos de fundação, o Bloco Concentra Mas Não Sai, o mais tradicional do Pré-Carnaval de Fortaleza, aproveita esse caloroso e plural espaço da Praça do Ferreira, coração de nossa cidade, para render homenagem a quem fez e faz importante e inestimável contribuição para o nosso carnaval.

Este ano nossa homenagem vai para o arte-educador, etno-musicólogo e mestre percussionista Marcello Santos.





Nascido no Rio de Janeiro, em 8 de setembro de 1970, Marcello Santos se envolveu com o carnaval desde a infância, participando de blocos populares no Rio e também no GRES Estação Primeira de Mangueira.

Radicado em Fortaleza desde 1990, Marcello tem dedicado sua vida à pesquisa e ao ensino das tradições ancestrais da música popular brasileira, em especial suas matrizes africana e indígena.

Em 2003, fundou a Caravana Cultural, grupo e escola musical responsável pela formação de algumas dezenas de músicos que hoje atuam em diferentes blocos de pré-carnaval e do carnaval de Fortaleza e também em grupos musicais não carnavalescos no Brasil e no exterior.

Figura atuante na cena carnavalesca da cidade, já participou dos blocos Unidos da Cachorra, Bons Amigos e Zé Pretinho, e do Maracatu Rei de Congo. Atualmente, à frente dos batuqueiros da Caravana Cultural e dos Alabés do Afoxé Acabaca, realiza a festa percussiva Tambores Carnavalescos, nos domingos de pré-carnaval da praia de Iracema, além de comandar desfiles na av. Domingos Olímpio.



Ao longo de trinta anos Marcello Santos tem agregado saber, técnica, diversidade rítmica e, acima de tudo, paixão e generosidade, à comunidade carnavalesca de Fortaleza, por isso tudo, ele hoje recebe, das mãos de Marcus Vinicius de Oliveira, o nosso Marvioli, esta placa, símbolo do nosso reconhecimento gratidão.

Muito obrigado Mestre Marcelol Santos"




A não saída do "É SÓ ISSO MESMO!"

Fotos - Marvioli e Luis Antônio