Quem sou eu

Minha foto
Agrônomo, com interesses em música e política

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Santos cassados

Por Jean Lauand


Em 1969, Paulo VI removeu do calendário universal da Igreja muitos santos de existência não comprovada, como são Jorge, santa Filomena, Cristóvão, Bárbara, etc. No Brasil da época (ditadura militar), o caso ficou conhecido como "os santos cassados". Ante a comoção popular que a "cassação" causaria (alguns eram padroeiros nacionais; milhões de fiéis batizados com os nomes de Jorge, Filomena, etc.), o Vaticano arrumou uma de suas típicas soluções: não é, mas é, sem deixar de ser, não sendo, nenhuma e ambas...

Nos casos em que a "conveniência pastoral" o recomendasse, esses santos integrariam só calendários locais: Inglaterra ou Catalunha, por exemplo, não perderiam seu são Jorge. 
Entre nações que não poderiam prescindir do santo guerreiro estava a nação corintiana e foi graças ao Timão que Jorge permaneceu no calendário brasileiro. 

Corintiano ilustre, d. Paulo Evaristo Arns arrancou do papa esse privilégio e assim relata o diálogo em suas memórias:
"'Santo Padre, nosso povo não está entendendo direito a questão. São Jorge é muito popular no Brasil. Sobretudo ante a imensa torcida do Corinthians, o clube de futebol mais popular de São Paulo'. [Paulo VI]
Respondeu-me assim: "Não podemos prejudicar nem a Inglaterra, nem o Corinthians'." 

Se nem sempre são Jorge salva o Corinthians, naquela ocasião foi o Corinthians que salvou o são Jorge. 

Revista Língua Portuguesa, março 2012 - www.revistalingua.com.br

5 comentários:

Anônimo disse...

Não conhecia esta história, Marcus, do Corinthias ter salvo são Jorge
no Brasil. Achei-a gozadíssima.
Abraços
Roberto

Jose Caelles disse...

Jose Caelles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jose Caelles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

o unico santo legitimo, deveria ser Jesus o Cristo (o único sem pecado)mas parece que se esqueceram Dele.